Cortes no rating impulsionam o preço do ouro

Moedas de ouro

O ouro voltou a subir após a Standard & Poor’s anunciar a baixa de pontuação da França, na sexta-feira, de AAA a AA+, bem como a de Portugal, Áustria, Espanha, Eslováquia, Eslovénia, Chipre e Malta.

São também, cada vez maiores as preocupações e dúvidas quanto à Grécia poder declarar-se insolvente (na realidade já o é, segundo a opinião de muitos analistas) pois isso acarretará para a União Europeia um acréscimo de despesa em pagamentos de seguros sobre a dívida não paga, e também para os Bancos Europeus, que são as entidades com maior responsabilidade no pagamento destes seguros e tendo em conta a fragilidade destes, atualmente.

Não é por isso de surpreender que os mercados tenham sofrido perdas depois da notícia de sexta-feira e que os metais preciosos, sobretudo o ouro mas também a prata e a platina, tenham valorizado, mantendo assim um bom suporte.

A procura de ouro físico continua forte na Índia e na China, sendo que o gigante asiático é o calcanhar de Aquiles da Índia na procura global de ouro.
Desde 2002 até 2011 o ouro acumula uns impressionantes 19% de valorização anual, o que faz dele uma opção de investimento de eleição.

Claro que de repente isto pode sofrer alterações, ainda que momentâneas, e a desvalorização deste metal é algo que está no horizonte das projecções de alguns analistas internacionais. Sendo um bom investimento a médio e longo prazo, não deixa de ser também uma boa oportunidade, neste momento, para a realização de mais-valias, se investiu há algum tempo, para beneficiar do momento alto que o ouro está a passar.

Ourinvest EntrecamposEste é também o conselho da Ourinvest Entrecampos: vender para realizar mais valias ou simplesmente liquidez, ou comprar numa perspectiva de médio/longo prazo, como investimento.

O ouro é sempre um refúgio financeiro, eleito como o activo de refúgio pelos investidores mundiais nos últimos anos, imune a flutuações cambiais, inflação e pressões financeiras especulativas, dentro de certos limites. Fácil de converter em dinheiro a qualquer momento é o instrumento financeiro por natureza para quem é avesso a grandes riscos sem no entanto dispensar margens de ganho interessantes.

Para consulta de cotações, avaliação, compra ou venda de ouro e prata, não deixe de visitar a Ourinvest Entrecampos em Lisboa. Somos uma referência neste mercado. A opinião dos nossos clientes fala por nós.

Campanha publicitária Ourinvest – Compra e Venda de Ouro

Nova campanha publicitária Ourinvest

A rede de lojas de compra e venda de ouro Ourinvest iniciou nos últimos dias uma campanha publicitária nas televisões SIC e TVI, e nas rádios Rádio M80 e Rádio Comercial.

Patrocínio da “Casa dos Segredos”, “Boa Tarde”, “Querida Júlia”, e “Anjo Meu”, bem como os já referidos spots nas rádios espelham a dinâmica desta empresa e a projeção junto dos Portugueses que desde há muito confiam e dão a sua preferência à Ourinvest.

Nesta época Natalícia não podiamos deixar de agradecer a todos os que manifestaram esta preferência e deixar aqui uma mensagem de Boas Festas e Feliz Natal em nome da Ourinvest e em particular da Ourinvest Entrecampos.

Procura de Ouro aumenta na Índia

Ouro festivalSegundo dados recentes publicados pela Associação dos Fundos Mútuos da Índia, durante esta temporada de festivais na Índia foram atingidos novos recordes de venda de ouro e prata. Muitos comerciantes e observadores de mercado previram este desenvolvimento antes mesmo do início do festival das luzes.

As vendas de ouro indiano subiram 8% e atingiram um novo recorde de mais de 81 milhões de rúpias. Muitos indianos, perante a incerteza dos últimos desenvolvimentos económicos estão comprando ouro e, por outro lado, deslocando grandes volumes de capital para fundos de investimento local.

A Índia continua a ser um dos maiores compradores de ouro e prata mundiais revelando assim uma tendência para a constante e consequente subida de preço destes metais.

Cotação do ouro dispara com receios da Grécia e Itália

Ouro sobeO ouro tem vindo recuperar o interesse dos investidores depois de uma significativa queda em setembro, quando o metal desvalorizou em mais de 10%, em consequência de receios de que a crise de crédito levasse os investidores a vender ativos de risco para realizar liquidez.

A estabilidade dos mercados continua altamente afetada e a volatilidade a roçar no vermelho, com os analistas internacionais a recomendar alguma reserva aos investidores. Isto fará com que o ouro retorne à lista das melhores opções para investimento.

As incertezas sobre a capacidade da Itália e da Grécia cumprirem os seus compromissos financeiros relativos às suas dívidas, resultou num aumento da procura por ativos de baixo risco, como o metal precioso, vulgo, ouro. Este, chegou a atingir ontem, valores próximos do máximo histórico, terminando a sessão no mercado a cerca de 1766 dólares/onça.

O Deutsche Bank considera que o preço do ouro continuará evoluindo positivamente e superará em breve a barreira dos 2 mil dólares a onça.

Ouro pode atingir 10.000 dólares a onça

Grafico ascendenteA cotação do ouro pode chegar a 10.000 dólares a onça num cenário em que os países sejam obrigados a readotar o padrão-ouro é a opinião de Paul Brodsky, gestor de investimentos da QB Asset Management expressa numa conferência em Nova York.

A cotação do ouro pode disparar até 600% nos próximos anos se a economia mundial entrar em colapso.

Atualmente negociado pouco abaixo de 1.700 dólares a onça no mercado internacional, o metal pode chegar a nada menos do que 10.000 dólares.

Pode parecer apenas mais uma previsão delirante de gente do mercado financeiro, mas Brodsky tem uma explicação económica para sua teoria. Os países desenvolvidos têm tomado medidas para desvalorizar suas moedas como forma de reativar as próprias economias. A China já mantém uma política de câmbio praticamente fixo e desvalorizado há vários anos.

Se os principais países continuarem a adotar medidas para desvalorizar artificialmente as moedas locais, o padrão de câmbio flutuante, adotado desde a década de 70 pelas nações mais ricas, poderia, na prática, deixar de existir.

O regresso ao câmbio fixo teria seus efeitos colaterais. Com a fraqueza do dólar, o lastro para o valor da moeda de cada país não poderia ser dado pelo dinheiro Americano. Restaria aos países, portanto, acumular reservas em ouro para garantir o valor da moeda local.

Longe de ser uma mera previsão, o valor de 10.000 dólares a onça foi calculado dividindo a atual base monetária dos EUA, de 2,68 trilhões de dólares, pelas reservas de ouro do Federal Reserve (o Banco Central Americano), que somam 261,5 milhões de onças.

O ouro já subiu 18% neste ano e chegou a 1.676,60 dólares a onça nos Estados Unidos. Trata-se do 11º ano seguido de valorização do metal.

Fraqueza do dólar, risco de calote na Europa, inflação nos países emergentes, guerras no Oriente Médio e possibilidade de novos atentados terroristas são excelentes motivos para o investidor colocar o seu dinheiro em ativos seguros.

Um deles é o ouro. O metal é considerado pelos investidores uma espécie de porto seguro. Foi o melhor investimento de 2010, quando teve valorização superior a 30%. Desde os atentados de 11 de Setembro de 2001, em Nova York, o ouro acumula recordes consecutivos. Para quem está pensando em investir em ouro agora, a primeira pergunta que vem à cabeça é: o ouro já ficou caro? Há especialistas que acham que ainda não.

Walter de Wet, analista de metais do Standard Bank em Londres, considera o ouro uma das melhores commodities metálicas para se investir neste ano. DeWetEle afirma que há diversos motivos para permanecer otimista. O principal deles é que as reservas internacionais de diversos países cresceram muito nos últimos anos. A maior parte desse dinheiro acaba aplicada em títulos de dívida de outros governos. No entanto, uma parte cada vez maior é investida em ouro – e é isso que empurrou a cotação da onça (pouco mais de 31 gramas) para valores record em Nova York.

Por trás desse movimento, está o temor de um calote de dívida soberana em países da Europa e o progressivo enfraquecimento do dólar. Bancos centrais de países como China, Índia, Rússia e México possuem trilhões de dólares em reservas e têm transferido parte do dinheiro aplicado em títulos de dívida para o ouro. Ao mesmo tempo, a oferta mundial é incapaz de atender a demanda.

Não há nenhuma garantia que esse movimento continue a ser observado no futuro e o investidor que entrar agora deve estar ciente que os preços atuais são bastante elevados. Mas o debate sobre a bolha do ouro tem sido intenso desde que a onça atingiu 1.000 dólares e, contra todos os prognósticos pessimistas, a escalada continua.

Wet, do Standard Bank, admite que a retirada gradual dos estímulos econômicos e da política monetária frouxa nos Estados Unidos, esperada para os próximos meses, deverá encolher parte da liquidez abundante que existe no mundo – o que também ajuda a inflacionar os preços das commodities. Isso poderia levar a uma queda temporária do ouro, mas, segundo ele, ainda haverá motivos para a reapreciação do metal. “Muita gente diz que os estímulos monetários estão por trás da alta. Mas essas políticas foram adotadas há apenas dois anos enquanto o ouro já está em escalada há uma década”, afirma.

Cotação do Ouro e da Prata (12-07-2011)

Cotação da grama de Ouro fino (24 quilates)
Valor/Data Referência:
35,57€/grama (12-07-2011)

Cotação da grama de Prata fina (99,9%)
Valor/Data Referência:
0,83€/grama (12-07-2011)

Estes valores têm como base de referência o fixing de Londres (A.M.) face ao Dólar e são calculados à taxa de referência diária EUR/USD.
Valor em onças troy, convertido em gramas (1 onça troy = 31,103481 gramas).
Estas cotações devem ser consideradas a título informativo.

O Ouro e a insegurança dos mercados

Ouro e MoedasO ouro e a prata continuam a cotar em alta e a bater recordes, em antecipação às más notícias que se antevêem sobre a Grécia. Atenas espera receber ajudas no valor de 12.000 milhões de euros da UE e do FMI, com a condição de fazer cortes no orçamento, de 28.000 milhões nos próximos quatro anos.

O Dólar tem vindo a ser beneficiado da fuga para os valores de refúgio. A situação grega está a proteger o dólar e a economia dos EUA, face ao Euro. A opção de escolher o “mal menor” entre o Euro e o Dólar está a levar os investidores, cada vez mais, a não escolherem nenhuma delas e a optarem pelos metais preciosos sendo o ouro o mais beneficiado com esta situação.

O aumento da procura de ouro e prata é a resposta dos mercados ao aumento da insegurança política e económica na Europa. O preço do ouro está a ser negociado entre 1.510 dólares e 1.540 dólares por onça troy (34,11€ a 34,78€ a grama).